The Artist - Lenhadores da Antárdida

Quando não estou fotografando casamentos, gosto de aproveitar e voltar as origens, porque afinal foi assim que iniciei na fotografia, fotografando bandas, shows e amigos. 
Tarde típica curitibana, tempo nublado, aquele solzinho tímido e bastante musica boa. 
Não tenho muito o que falar dessa rapaziada, é melhor vocês conferirem por vocês mesmo, é só clicar nesse link: http://spoti.fi/2wftA9a

Tentei registrar esse ensaio sem pisar em nenhum cabo ou gritar TOCA RAUL. Acho que fui bem sucedido, haha. É sempre difícil separar algumas fotos, mas coloquei abaixo as que mais gostei. Pra ver algumas outras fotos e conferir as datas dos shows, sigam eles nas redes sociais. 


Ah, aproveitando que você está por aqui, deixe nos comentários sua banda brasileira favorita. 
Hoje é dia de rock BEBE, beijo no core s2

fotos: lucas costa e seu coração.

#16 - Eurotrip

#1, um ano cheio de primeiras vezes. Tive minha primeira experiência internacional fotografando casamentos e também bancando o turista.
#2, dois lugares me marcaram muito nesta viagem. O primeiro foi poder passar boa parte em Portugal, não só pelos casamentos que fotografei por lá (conto um pouco mais sobre isto aqui), mas por todas as amizades e experiências que tive. E Berlim, onde tive a oportunidade de vivenciar coisas que nunca imaginei, com toda certeza uma cidade que vou voltar.
#3, aprendi muito com todas essas experiências, mas se pudesse te contar apenas três, seriam: 1- Viajem, viajem muito, viajem como se não houvesse amanhã. 2- Se permita mais, tente, experimente, diga sim, peça informação na rua, ande sem mapa, se perca, viva! 3- Sim é clichê, mas com toda certeza, menos é mais. 
#4, Italia, Espanha, Portugal e Alemanha. 1 arrependimento, não poder ficar tanto quanto eu gostaria. 
#5, nem sempre você vai conseguir fazer isso, mas levantar as 5 da manhã pode render belas imagens. Caso não consiga acordar cedo, leve sua câmera sempre com você, afinal, você pode estar voltando pra casa nesse horário. 
#6, improvise. Nem sempre é bom ter tudo programado. Mas não esqueça de reservar seu hostel.
#7, cafés são ótimos lugares para você conhecer um pouco mais sobre a cultura local, escolha aquele pequeno, aquele de bairro, passe um tempo lá, você não vai se arrepender. 
#8, club Mate com Jägermeister, quem inventou isso? 
#9, tive a oportunidade de conhecer a Alemanha, graças ao Prêmio Wedding Best,  que premia o melhor álbum de casamento do ano (para saber mais clique aqui). Com isso pude visitar a maior feira de fotografia, a Photokina. Acompanhei as novidades e tendências do mundo fotográfico, mas também pude  ver grande exposições, como Bruce Gilden, Jens Umbach, Alex Webb e muitas outras. Obrigado a todos os envolvidos, em especial ao Fer Cesar, por todos esses anos e também meu muito obrigado pra galera da Feira Fotografar. 
#10, comida italiana é covardia. 
#11, mudar, nem sempre é bom, mas as vezes é preciso.
#12, viajar sozinho não é tão ruim quanto parece. Mas acompanhado deve ser melhor ainda. 
#13, nem sempre o melhor lugar pra visitar é aquele ponto turístico famoso.  
#14, espero que vocês gostem das fotos, comentem em baixo quais vocês gostaram mais. 
#15, sei que tem muitas fotos aqui, mas não consegui diminuir, apego né?! Também criei uma nova conta no instagram, pra publicar tudo aquilo que não consegui colocar aqui, @thisisnotstreetphotography, segue lá. 
#16, que ano minha gente, que ano!
 

fotos: lucas costa e seu coração

St. Barths - Verão Páprika

St. Barths é uma ilha cercada de água azul turquesa por todos os lados - nada melhor para inspirar uma coleção de verão, né? E foi justamente isso que a Páprika, marca aqui de Curitiba, que me chamou para clicar as imagens, fez. Para combinar com o clima de férias, sol e calor, fizemos as fotos no Aeroporto do Bacacheri, também em Curitiba. E o resultado é esse aqui embaixo - achei que a atmosfera tem tudo a ver com as peças (mas da próxima vez podíamos fazer no Caribe mesmo, que tal?) ;) 

fotos: lucas costa e seu coração

The Artist - Arthure

Caminhávamos pelas ruas de Porto, eu, Felipe e Bela, quando nos deparamos com uma pequena portinha, um espaço cheio de maquinas, pedaços de madeira, serragem, e um Senhor, muito simpático que assim que nos viu logo abriu um sorriso.
O Sr. Arthure nos disse que trabalhou a vida toda ali, sempre construindo peças de madeira, no mesmo local, por anos e anos. Os dedos calejados, a experiência no falar sobre sua profissão e o brilho nos olhos de quem fez o que gosta a vida toda e com certeza não pretende parar. 
Esse é um daqueles lugares que por mais que o tempo passe, por mais que a cidade mude, ele vai continuar ali, intocável.
 

fotos: lucas costa e seu coração